PSD quer ouvir todos os diretores do Fisco desde 2011 sobre 'offshores'

"Queremos que toda a verdade seja apurada, não tememos nada", disse líder parlamentar do PSD

O líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, acusou hoje o primeiro-ministro de ter feito no debate quinzenal de quarta-feira uma "insinuação soez e indigna" a propósito do caso das 'offshore', e anunciou que os sociais-democratas vão pedir mais audições, incluindo de todos os diretores gerais do fisco desde 2011.

Lembrando que o PSD já tinha pedido a audição urgente do atual e anterior secretários de Estado dos Assuntos Fiscais, Rocha Andrade e Paulo Núncio, o líder da bancada social-democrata anunciou que hoje irá dar entrada no parlamento um novo requerimento a solicitar a audição dos diretores gerais da Autoridade Tributária e Aduaneira que exerceram funções desde 2011, bem como do inspetor-geral de Finanças.

Em declarações aos jornalistas no final da reunião do grupo parlamentar do PSD, Luís Montenegro classificou como "uma insinuação soez, indigna de um responsável governativo" a afirmação feita na quarta-feira por António Costa de que "teria havido responsabilidade política do anterior governo" a propósito de uma eventual transferência de capitais para paraísos fiscais.

"Queremos que toda a verdade seja apurada, não tememos nada, não temos o temor que PS, PCP e BE têm a propósito da Caixa Geral de Depósitos", criticou Montenegro.

"Uma vez que o Governo quis caminhar por esta insinuação soez e indigna, chegou a altura de acelerarmos ainda mais esse processo de averiguação no parlamento", justificou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG