Provas de Educação Física com guiões antecipados amanhã

O Instituto de Avaliação Educacional (IAVE) publica amanhã os guiões das primeiras provas de aferição de Expressões do 2.º ciclo, que incluem as Artes e a Educação Física

A prova de aferição de expressão Físico-Motora (educação física), do 2.º ano de escolaridade, é a principal novidade da época de avaliações deste ano. Tal como o DN noticiou há um mês, será a primeira vez, a nível europeu, que uma geração inteira de alunos é sujeita a este tipo de avaliação.

Outras novidades do teste - o qual, por se tratar de uma aferição, não conta para a nota do aluno - são a distribuição das provas nas escolas ao longo de sete dias, entre dois e sete de maio, de forma a facilitar a logística envolvida na organização. Os alunos serão testados em grupos de turma, com avaliadores internos e externos no local.

Também invulgar é a decisão, tomada em conjunto entre o Ministério da Educação e Instituto de Avaliação Educacional (IAVE), de adiantar os "guiões" da prova com alguns dias de antecedência, divulgando-os online a partir de amanhã.

A explicação, avançada hoje por Helder de Sousa, do IAVE, numa reunião com jornalistas no Ministério, é a intenção de não criar desigualdades entre os alunos que fazem as provas mais cedo e os seguintes, sendo que, por tratar-se de um exame em que estão em causa essencialmente aptidões físicas, é pouco plausível que algum estudante pudesse realizar uma "preparação intensiva" do teste que lhe desse vantagem. Até porque, recorde-se, está em causa um teste que serve para avaliar as necessidades do sistema e não contribuir para a nota do estudante.

De resto, há mais de um mês que um vídeo exemplificativo do conjunto de exercícios a realizar na prova está disponível no site do IAVE.

O caráter inédito destas provas tem gerado alguns desafios às escolas, do ponto de vista da organização. Mas o secretário de Estado da Educação, João Costa, garantiu que o ambiente é de "tranquilidade" e que "muitas câmaras contribuíram com material" para as escolas que não tinham todo o equipamento necessário.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG