Protesto de bolseiros sai à rua com apoios de peso

Maria Mota, Prémio Pessoa 2013, é uma das cientistas a alertar que a quebra abrupta na atribuição de bolsas asfixia o sistema

Os bolseiros de investigação estão hoje em protesto e lançaram o repto á comunidade científica para que se lhes junte, às 15.00, junto à sede da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), em Lisboa. E o apoio não se fez tardar.

"O protesto dos bolseiros pelo decréscimo do número de bolsas faz todo o sentido, porque isso asfixia o sistema científico", afirma a investigadora Maria Mota, Prémio Pessoa 2013 e líder de um grupo de investigação sobre a malária no Instituto de Medicina Molecular (IMM) da Universidade de Lisboa. O seu grupo também é afetado. "Tenho duas pessoas que não tiveram bolsa por causa de uma regra que não foi esclarecida e que tem a ver com o número máximo de bolseiros no meu grupo".

A ação de hoje, promovida pela Associação de Bolseiros de Investigação Científica (ABIC), surge na sequência dos resultados do concurso individual de bolsas de doutoramento e pós-doutoramento relativo a 2013, cujas taxas de aprovação caíram a pique em relação a 2012.

Leia mais pormenores no e-paper do DN

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG