Propostas de Portas sobre RSI exaltam ânimos

Ao sétimo dia de campanha, as propostas do CDS-PP para cortar no "rendimento mínimo" continuam a dividir e até a exaltar as opiniões nas ruas, com Paulo Portas a afirmar que "não fica zangado" e a apostar hoje na mensagem aos "desiludidos".

"Se aparece imensa gente a apoiar e dar força e alguns a criticar, primeiro acho que é democrático, não sou como o engenheiro Sócrates, não fico zangado. Eu defendo quem trabalha, quem perdeu o posto de trabalho, quem tem o seu pequeno negócio. Se há outros que não querem trabalhar e querem viver à custa do contribuinte, não concordo", disse Paulo Portas.

O líder do CDS-PP falava aos jornalistas no final de uma "arruada" em Espinho, onde decorrem as Festas de Nossa Senhora da Ajuda, na primeira iniciativa de campanha do dia que começou com ânimos exaltados.

Logo ao início, alguns homens criticaram, com palavras fortes, Paulo Portas por causa da questão do rendimento mínimo, o que exaltou alguns militantes de Espinho que acompanhavam a comitiva, gerando-se alguma confusão.

Paulo Portas passou ao largo, mas mais à frente outro homem apelidou-o de "racista" e disse que o líder do CDS-PP "é contra os ciganos".

A iniciativa decorreu depois com normalidade, e várias manifestações de apoio, com algumas pessoas a elogiarem o discurso de Portas contra aqueles que querem "viver à custa do contribuinte".

A uma semana das eleições, Paulo Portas fez um pequeno balanço da campanha, e dirigiu-se em particular aos que estão desiludidos.

"Estou convencido que o CDS está a subir e que é uma oportunidade para muita gente que está desiludida", afirmou Paulo Portas aos jornalistas, considerando que os partidos "não são clubes" e que os eleitores devem escolher pelas propostas.

"Por isso é que eu peço aos cidadãos, porque Portugal é muito mais importante, os partidos não são clubes. Tem propostas que ou servem ou não servem num determinado momento do país", afirmou.

Para Paulo Portas, na presente campanha "pela primeira vez as pessoas perceberam quem tinha uma visão mais consistente para o país e quem tinha os dossiês mais trabalhados" e até "quem tinha alegria de viver e sentido de humor".

No final, Paulo Portas notou que afinal a "arruada" tinha juntado muitos militantes e posou para a fotografia para o mostrar.

O líder do CDS-PP teve hoje ao lado a candidata a deputada por Lisboa Isabel Galriça Neto, médica especialista em cuidados paliativos, que o acompanhou a Avanca, Aveiro, para visitar uma Instituição de Solidariedade Social.

No final da arruada, Paulo Portas antecipou as propostas na área social, dando prioridade ao aumento das pensões mínimas.

À margem da iniciativa, o líder do CDS-PP comentou ainda a notícia do Expresso segundo a qual o líder do Bloco de Esquerda já teve um Plano Poupança Reforma, apesar de o seu programa eleitoral os criticar, ironizando que "com o programa do CDS-PP, todos podem fazer um PPR se o quiserem, até Francisco Louçã".

O líder do CDS-PP termina hoje o dia com um jantar em Albergaria-a-Velha, Aveiro, distrito pelo qual é cabeça-de-lista e onde a campanha do CDS-PP tem apostado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG