Professores desempregados ocupam ministério

Cerca de 40 professores desempregados entraram esta tarde nas instalações do Ministério da Educação e Ciência (MEC), em Lisboa, e recusam sair até ser recebidos pelo ministro Nuno Crato ou por um dos secretários de Estado.

Segundo Ana Paula Machado, esta iniciativa dos professores desempregados tem o apoio do Sindicato Professores da Grande Lisboa (SPGL), associado da Fenprof, e é justificada com o facto de considerarem que as escolas precisam de docentes e que as turmas estão demasiado grandes.

"Vamos ficar até ser recebidos pelo ministro ou por um dos secretários de Estado", garante a professora, rodeada por colegas sentados no átrio das instalações do MEC na Avenida 5 de Outubro. Com os professores estão também "alguns estudantes universitários", diz Ana Paula Machado.

"Não há justificação para este número tão grande de desempregados", adiantou a dirigente sindical Deolinda Machado, acrescentado que nos últimos anos sairam milhares de professores para a aposentação e que não foram subtituidos.

Os docentes dizem recusar receber o subsídio de desemprego quando as escolas precisam deles e num ano em que, por questões economicistas, as turmas têm demasiados alunos, indicou à Lusa a professora Sofia Barcelo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG