'Profes' vão escrever a Crato a pedir escola de qualidade

A Federação Nacional de Educação (FNE) pediu hoje aos professores que enviem ao ministro da Educação, Nuno Crato, um postal, tradicional ou eletrónico, a lembrar-lhe a sua responsabilidade em garantir "uma oferta educativa pública de qualidade e com equidade".

O objetivo é assinalar o Dia Mundial do Professor, celebrado no sábado, vincando que "a educação não é apenas um direito, mas uma responsabilidade social", como defende à Lusa o secretário-geral da FNE, João Dias da Silva, em comunicado.

"O governo em particular e a sociedade em geral têm de reconhecer que as professoras e os professores portugueses desempenham um papel crucial no sucesso educativo dos seus alunos e que esta realidade tem de se repercutir no seu reconhecimento, na sua dignificação e na sua valorização", defende Dias da Silva no documento, apelando a repercussões concretas nas condições de trabalho dos docentes e no seu salário.

Também para assinalar o Dia Mundial do Professor a Federação Nacional de Professores (Fenprof) vai promover no sábado uma sessão pública, a partir das 15:00 na Escola Secundária D. Pedro V, em Lisboa, e durante a qual está prevista a projeção de depoimentos de "diversas personalidades que se associaram à campanha "Em Defesa da Escola Pública", e intervenções da ex-presidente do Conselho Nacional de Educação, Ana Maria Bettencourt, e do secretário-geral da Fenprof, Mário Nogueira.

A propósito desta data a organização das Nações Unidas para a Educação e Cultura (UNESCO) divulgou recentemente dados que indicam que até 2030 serão necessários 8,4 milhões de professores para assegurar as necessidades educativas de todas as crianças do ensino primário e secundário.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG