Produtores de cerveja defendem os 16 anos para idade mínima

O secretário-geral da Associação Portuguesa dos Produtores de Cerveja (APPC) considera que a manutenção dos 16 anos como idade mínima para a venda e consumo desta bebida é "adequada" e leva em conta a realidade portuguesa.

O responsável falava a propósito da nova lei do álcool, que será hoje discutida em Conselho de Ministros e que aumenta a idade mínima da venda e consumo de bebidas espirituosas para 18 anos, mantendo-a nos 16 anos nos casos do vinho e da cerveja.

Segundo Francisco Gírio, esta diferenciação vai ao encontro da realidade dos consumos de bebidas alcoólicas em Portugal.

Esta posição da associação foi já transmitida ao Governo, segundo o secretário-geral da APPC.

Para Francisco Gírio, existem idades mínimas de início de consumo de bebidas alcoólicas e este "deve iniciar-se com bebidas com menor grau alcoólico".

Exclusivos