Processo a agentes que entraram em reportagem da RTP

O director nacional da PSP determinou hoje a abertura de um processo interno de averiguações para apurar eventuais responsabilidades disciplinares e criminais dos polícias que participaram numa reportagem da RTP.

Numa nota enviada à agência Lusa, a direcção nacional da PSP refere que na reportagem emitida no dia 16, foram apresentados "factos graves", o que levou o superintendente chefe Guedes da Silva a determinar "no imediato uma investigação" para "apurar a identificação dos seus autores". Caso a PSP conclua que houve responsabilidade criminal por parte dos polícias visados no processo, a informação "será de imediato fornecida ao Ministério Público".

A PSP diz ainda que as imagens da reportagem "reproduzem factos e realidades da cidade de Lisboa e que não reflectem a realidade da PSP em termos nacionais". Na reportagem emitida na quarta-feira pela RTP, em que se traça o retrato social dos agentes da PSP, um polícia não identificado assume que já recebeu 250 euros de suborno de um condutor e que já roubou para comer.

O presidente do Sindicato dos Profissionais da Polícia (SPP), António Ramos, é um dos intervenientes na peça televisiva e afirma ter conhecimento de polícias que são corruptos e que já roubaram caixas de multibanco. No site da Internet, o SPP refere que "colaborou activamente numa grande reportagem sobre os vários problemas que afectam a instituição".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG