Príncipe das Astúrias defende "dimensão ibérica" que trará mais força aos dois países

O príncipe das Astúrias, Felipe de Borbón y Grécia, considerou hoje que Portugal e Espanha beneficiarão da existência de uma "dimensão ibérica", que trará mais "força" aos dois países para enfrentar um futuro complexo.

Numa intervenção no banquete oferecido pelo Presidente da República no Palácio de Queluz aos príncipes das Astúrias, Felipe de Borbón falou do estreitamento das relações entre Portugal e Espanha nos últimos anos, mas reconheceu que "muito há ainda por fazer", tal como momentos antes havia dito o chefe de Estado português, Aníbal Cavaco Silva.

"A dimensão ibérica dará às duas nações mais força e maior capacidade perante o futuro complexo que se antevê para os nossos povos e para a Europa", disse o príncipe das Astúrias, expressando, contudo, a sua "esperança" no futuro de Portugal e de Espanha, que deverá ser construído conjuntamente com os parceiros europeus.

O herdeiro da coroa espanhola, que se encontra em visita oficial a Portugal desde terça-feira a convite do Presidente da República, destacou ainda o aprofundamento do conhecimento entre portugueses e espanhóis nas últimas décadas, que permitiu "romper com muitos estereótipos" e descobrir que os problemas e as necessidades são semelhantes.

"Espanhóis e portugueses precisam uns dos outros. Espanha deseja um Portugal próspero que enfrente o futuro com confiança, da mesma maneira que Portugal gosta de uma Espanha próxima e forte", disse o príncipe das Astúrias.

Por isso, acrescentou, os dois países sabem bem que devem aproveitar "as oportunidades de entendimento e cooperação, assim como desenhar uma estratégia comum para se aproximarem".

Logo no início do seu discurso, Felipe de Borbón não deixou de lembrar os "tempos passados e não fáceis" em que o seu pai, o rei Juan Carlos, viveu em Cascais.

"Portugal é um país muito querido para a minha família, que em tempos passados e não fáceis, se sentiu muito bem acolhida, com grande afeto e hospitalidade, e sempre que o visitamos nos faz sentir igualmente bem-vindos e queridos. Portanto, a princesa [Letizia Ortiz Rocasolano] e eu vimos hoje a Portugal com a alegria que se sente ao regressar a uma casa acolhedora e próxima, onde temos grandes amigos", sublinhou.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG