Preventiva para jovem apanhado a assaltar habitação um dia depois de ser condenado

Arguido de 17 anos era um dos suspeitos que dois agentes policiais perseguiam quando foram colhidos mortalmente por um comboio.

O jovem detido na terça-feira quando tentava assaltar uma residência, em Loures, e que foi condenado um dia antes a prisão efetiva aos fins de semana, ficou hoje em prisão preventiva, disse à Lusa fonte judicial.

O arguido, de 17 anos, que havia sido condenado pelo Tribunal de Loures, na segunda-feira, a pena de prisão efetiva aos fins de semana durante nove meses pelo mesmo tipo de crime, foi detido na manhã seguinte pela polícia, em conjunto com outro suspeito, na zona da Apelação, concelho de Loures, quando ambos se preparavam para assaltar uma residência.

Este e outro arguido, de 19 anos - condenado no mesmo dia a uma pena suspensa de sete meses - foram julgados em processo sumário pela tentativa de assalto de uma casa na Bobadela (concelho de Loures), a 25 de fevereiro, a qual desencadeou uma perseguição policial em que dois polícias morreram colhidos por um comboio.

Presente hoje a primeiro interrogatório judicial no Tribunal de Loures, pela tentativa de assalto a uma residência na Apelação, o juiz de instrução criminal determinou a medida de coação de prisão preventiva ao jovem de 17 anos.

"Ficou em prisão preventiva principalmente pelos vários processos pendentes por furtos em residências, no concelho de Loures. A tentativa de assalto na segunda-feira foi apensada a estes processos", explicou à Lusa a fonte judicial.

Segundo a fonte, o outro jovem detido na segunda-feira - que ficou hoje sujeito à medida de coação de apresentações três vezes por semana às autoridades - é o terceiro elemento envolvido no assalto à residência na Bobadela, a 25 de fevereiro, tendo, na ocasião, conseguido fugir.

Os dois agentes da PSP que morreram, de 23 e 26 anos, pertenciam à esquadra de São João da Talha e foram colhidos por um comboio entre a Bobadela e Sacavém.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG