Presidente da APG/GNR suspenso por 25 dias

César Nogueira, à frente da maior associação profissional da GNR, começou esta sexta-feira a cumprir 25 dias de suspensão com perda de vencimentos e suplementos remuneratórios.

O Presidente da Associação dos Profissionais da Guarda - APG/GNR começa hoje a cumprir 25 dias de suspensão, com perda de vencimento e suplementos remuneratórios. Os 25 dias de suspensão são aplicados por ter sido sancionado com 10 dias de suspensão num processo e 15 dias noutro, comunicou a associação.

A Direcção Nacional da APG/GNR considera esta situação "inadmissível em democracia". "Não está em causa o incumprimento de qualquer dever profissional, apenas declarações à imprensa proferidas na qualidade de Presidente da APG/GNR, em que foram denunciadas situações relacionadas com as condições de serviço dos profissionais e proferidas opiniões sobre um processo de restruturação das polícias que nunca se veio a concretizar".

A APG/GNR sublinha que "em momento algum foi colocada em causa a imagem da Instituição e entendeu o Comandante-geral que cessou funções que, por esta via, podia silenciar quem assumiu o compromisso de dar voz e rosto à defesa dos direitos dos profissionais da GNR".

A associação entende que "está em causa o direito à liberdade de expressão, dentro dos limites previstos na lei e, é intolerável que, volvidos 40 anos da revolução que trouxe a democracia a Portugal, sejam instaurados processos ao Presidente da maior associação profissional da GNR única e exclusivamente por honrar o compromisso que assumiu quando foi eleito pelos associados".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG