Português que atravessava Atlântico a remos foi socorrido

O navegador português José Tavares, que se propõe atravessar o Oceano Atlântico a remos, foi socorrido, na quarta-feira, ao largo das ilhas Canárias, após três dias à deriva, anunciaram hoje as autoridades espanholas.

Segundo a agência EFE, o português, que segue sozinho no bote "Paraguaçu", estava há três dias sem conseguir governar a embarcação, após uma tempestade, e pediu ajuda às autoridades de socorro marítimo espanholas, que socorreram José Tavares a 129 quilómetros ao largo de Fuerteventura.

O pedido de ajuda foi feito às 13:30 locais de quarta-feira e a operação de socorro durou até às 02:00 locais de hoje, hora em que José Tavares chegou à capital de Fuerteventura, Puerto del Rosario.

Único ocupante do "Paraguaçú", com sete metros de comprimento, o navegador foi encontrado num "estado de esgotamento físico", segundo relataram fontes do socorro marítimo à EFE.

Já hoje, às 05:01, o próprio José Tavares aparece como o autor de uma mensagem no seu blogue "Paraguacu2012", informando que aportou em Fuerteventura.

"A direção do vento não mudava e as previsões apontavam para que tal só acontecesse no sábado - demasiado tempo de espera e por isso o Zé tomou a decisão de ser rebocado para as Canárias, Puerto del Rosario, onde se encontra neste momento", relata.

"Após breve repouso", adianta, está "a fazer pequenas reparações para prosseguir viagem o mais rapidamente possível".

O plano de José Tavares, segundo o blogue, é seguir rumo à América, tendo como destino final a ilha de Fernando Noronha, no Brasil, com escala em Cabo Verde, completando uma travessia de cinco mil quilómetros.

José Diogo Giraldes Tavares, que se apresenta no blogue como licenciado em Gestão de Empresas, consultor de desenvolvimento organizacional e devoto do desporto aventura desde 1994, partiu para a aventura marítima em Lagos, no Algarve, a 24 de fevereiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG