Português no voo da EgyptAir tinha 62 anos e trabalhava na África do Sul

A secretaria de Estado promete mais informações em breve

Tinha 62 anos, era casado com quatro filhos e trabalhava em Joanesburgo, na África do Sul, onde era o responsável da Mota-Engil para os mercados africanos. São estes os dados conhecidos sobre português que seguia a bordo do avião da EgyptAir que se terá despenhado no Mediterrâneo, divulgados pela secretaria de Estado das Comunidades.

"Confirmamos que estava um português a bordo deste avião que caiu, com 62 anos, inscrito no consulado de Joanesburgo, mas com residência em Lisboa, tinha quatro filhos e era o responsável da Mota-Engil para os mercados africanos", adiantou o secretário de Estado José Luís Carneiro.

O secretário de Estado disse que já apresentou as condolências à família em nome do Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) e do Governo português. "Já falei com a mulher em nome do MNE e do primeiro-ministro. O nosso gabinete de emergência consular já está a manter contactos com os nossos serviço consulares e diplomáticos em França e no Egito por forma a podermos dar o apoio necessário às diligências que se vão seguir caso se confirme a morte de todos os passageiros, como o registo e a trasladação", declarou.

O secretário de Estado disse ainda que a empresa Mota-Engil já se mostrou disponível para custear as despesas que venham a ser reconhecidas como não estando cobertas pelo seguro.

O avião da Egyptair hoje desaparecido despenhou-se ao largo da ilha grega de Cárpatos, no Mediterrâneo, no espaço aéreo egípcio. A queda já foi confirmada pelo presidente francês, François Hollande.

Siga o direto com todas as atualizações:

O voo MS804 da Egyptair, que fazia a ligação entre Paris e o Cairo, transportava 66 pessoas a bordo - 30 egípcios, 15 cidadãos franceses, e cidadãos de outras dez nacionalidades.

Notícia atualizada às 13.10

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG