Portugal quer livre circulação na CPLP

A ideia vai ser levada por António Costa à reunião de chefes de Estado da CPLP. Difícil, mas não impossível. É esse o espírito.

E se amanhã um cidadão português pudesse viajar para Angola da mesma forma que viaja para Espanha? Ou se um cidadão da Guiné Equatorial pudesse vir estudar ou trabalhar para Portugal sem precisar de visto? No limite será este o objetivo do Governo português com a proposta que leva à XI Cimeira dos Países de Língua Oficial Portuguesa.

António Costa aponta como meta os próximos 10 anos para concretizar este e outros objetivos. O primeiro-ministro diz que "é essencial que a CPLP se enraíze na vida dos cidadãos e há uma coisa fundamental que é podermos circular livremente". António Costa diz que "a liberdade de residência é básica e essencial e era muito importante que se pudesse fazer já" mas acrescenta que há passos a dar também no que diz respeito ao "reconhecimento dos diplomas universitários, por exemplo".

O objetivo é "ambicioso e difícil" reconhece o Presidente da República, mas "não é impossível", acrescenta Marcelo. Para já Portugal não tem nenhuma proposta escrita. Será António Costa a apresentar a ideia no discurso que vai fazer em Brasília, esta segunda-feira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG