Portas: Bloco e PCP deviam "corar de vergonha" por aumentos de 0,3% nas pensões

Líder centrista discursou perante duas centenas de militantes do PSD e do CDS na abertura das jornadas "Portugal - Caminhos de Futuro"

O líder do CDS-PP atacou esta quarta-feira os partidos da esquerda parlamentar pelo aumento de 0,3 por cento nas pensões mínimas.

"Nós já conhecemos hoje a primeira notícia da 'geringonça'. O tal aumento de pensões vai ser de 0,3%. O Bloco de Esquerda e o Partido Comunista deviam corar de vergonha", disse Paulo Portas esta noite no Porto, perante duas centenas de militantes e simpatizantes do PSD e do CDS no primeiro dia das jornadas "Portugal - Caminhos de Futuro".

Numa sessão que contou com intervenções do ministro do Ambiente e do Ordenamento do Território Jorge Moreira da Silva e com o presidente da distrital do PSD Porto Virgílio Macedo, Portas manifestou-se "obviamente preocupado" com o facto de internacionalmente se estar a estabelecer a perceção de que o Governo de Portugal "está a ficar dependente de reuniões do comité central do PCP, que toda a gente sabe legitimamente é anti-euro, anti-União Europeia e anti-NATO".

Nos discursos sobraram as críticas aos partidos da esquerda parlamentar e os elogios ao Presidente da República.

Moreira da Silva considerou a atual solução de governo apresentada pela esquerda e liderada por António Costa como "imoral, ilegítima, indigna" e até como "fraude eleitoral", acrescentando que "não corresponde à solução que o Presidente da República exigiu."

Público ficou à espera que Cavaco entrasse na sala

Mais violento foi o discurso de Virgílio Macedo, líder da distrital do Porto do PSD, que acusou o PS de "uma irresponsabilidade e falta de carater que só se reconhecia existir na extrema esquerda".

O discurso do dirigente social-democrata teve ainda um momento insólito que terminou em gargalhada. Num trecho em que afirmou "tem a palavra o senhor Presidente da República", fazendo em seguida um compasso de espera, boa parte do público espreitou para a porta, tendo ficado por momentos na dúvida se o mais alto magistrado da nação iria entrar na sala daquela unidade hoteleira em que decorreu a iniciativa.

Exclusivos