Pode ser precisa uma terceira dose da vacina do sarampo

Diretora-geral da Saúde confirmou possibilidade, no Parlamento

A Diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, anunciou esta terça-feira, no Parlamento, que pode ser preciso uma terceira dose da vacina do sarampo para reformar a imunização. Esta é uma possibilidade que está a ser estudada por diversos especialistas, acrescentou.

Graça Freitas foi ouvida na Comissão de Saúde, a pedido do PCP e pelo PS. Estão também a ser ouvidos outros sete especialistas sobre o surto de sarampo e vacinação. A bastonária dos enfermeiros, Ana Rita Cavaco, o presidente da Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública, Ricardo Mexia, e o coordenador da Comissão de Vacinas da Sociedade Portuguesa de Pediatria, Luís Varandas são alguns dos especialistas a serem ouvidos.

O tema do sarampo e da vacinação leva ainda ao Parlamento a bastonária, a coordenadora da Unidade de Missão do Hospital da Estrela, Ana Jorge, e o presidente do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA), Fernando Almeida, o médico Jorge Torgal e Filomena Pereira, diretora de serviços de educação especial e de apoios socioeducativos são os outros convidados dos deputados da comissão parlamentar da Saúde.

O surto de sarampo infetou até segunda-feira 86 pessoas, das quais 77 já foram curadas.

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.