PJ quer reconstituir tragédia para confrontar sobrevivente

A inquirição ao sobrevivente da tragédia no Meco, na qualidade de testemunha, ainda não foi marcada pelo procurador-coordenador de Almada Moreira da Silva, porque antes disso a PJ de Setúbal vai ouvir os pais, familiares das seis vítimas mortais e outras testemunhas relevantes para o inquérito. Entre estas estarão moradores da zona do Meco que possam ter visto ou contactado com os estudantes da Lusófona e colegas dos jovens na universidade, apurou o DN.

A inquirição a João Gouveia faz parte de um plano operacional da PJ de Setúbal que inclui, antes de mais, todas as diligências atrás referidas.

Leia mais pormenores no e-paper do DN.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG