PJ investiga desvio de verbas na Faculdade de Medicina Dentária

Buraco de 1,6 milhões de euros levou a buscas na instituição

Um alegado furto levou à investigação das contas da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto. De acordo com o Jornal de Notícias, a Polícia Judiciária no Porto está a investigar um buraco de 1,6 milhões de euros nas contas da instituição, depois de em abril do ano passado ter sido reportado o desaparecimento de 77 mil euros em dinheiro vivo que estavam na gaveta da secretária de uma funcionária da contabilidade.

Foi instaurado um processo-crime e a Polícia Judiciária entrou em ação, conta o JN. Realizaram-se então buscas em duas ocasiões: em setembro do ano passado e em março deste ano. Nas duas foi apreendida documentação da contabilidade entre 2010 e 2014, anos em que a faculdade era dirigida por Afonso Pinhão Ferreira. Em novembro de 2015, o cargo passou a ser ocupado por Miguel Pinto.

A PJ está a analisar as contas da faculdade a pente fino para perceber os prejuízos que se registaram desde 2008. Em 2015, a instituição teve lucros de 256 mil euros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG