PJ investiga incêndio que destruiu igreja de Lavradas

Alerta às autoridades "foi dado pela população que acordou com o som dos sinos a tocar descontroladamente". Igreja datava do século XVII

A Polícia Judiciária (PJ) foi chamada a investigar as causas do incêndio que hoje destruiu "por completo" a igreja paroquial de Lavradas, em Ponte da Barca.

O comandante dos Bombeiros Voluntários de Ponte da Barca, José Freitas, contou à agência Lusa que quando os operacionais chegaram ao local a igreja já estava "totalmente tomada pelas chamas". "Não deu para fazer nada. Por mais que se tentasse, sentimo-nos incapazes", afirmou o comandante.

De acordo com aquele responsável, "apenas foi possível salvar da destruição a zona da sacristia".

Contactado pela Lusa, o pároco local, Filipe Sá, revelou que com a destruição do templo, "as missas vão passar a ser celebradas na sede da Junta de Freguesia e da Associação Lavradas, espaço já disponibilizado à paróquia".

O sacerdote católico adiantou que "os serviços camarários vão proceder a análise técnica da fachada e das paredes laterais, para se começar estudar a reabilitação do templo datado do século XVII".

"Ainda é cedo para estimar custos, mas será sempre uma intervenção avultada. Não era um templo de elevado valor histórico, mas era a casa dos paroquianos de Lavradas, que ficaram muito abalados", sustentou o padre.

Pároco de Lavradas há um ano, Filipe Sá adiantou que o alerta às autoridades "foi dado pela população que acordou com o som dos sinos a tocar descontroladamente".

"Não houve nada a fazer", lamentou.

O alerta às autoridades foi dado cerca das 05:02. O incêndio foi dado como extinto às 06:23.

Ao local compareceram 30 operacionais e oito viaturas dos bombeiros de Ponte da Barca, Ponte de Lima e Arcos de Valdevez.

Exclusivos