PJ faz buscas na Casa dos Marcos e na residência de Paula Brito da Costa

Inspetores da Unidade Nacional Contra a Corrupção da PJ fizeram buscas também no gabinete de Manuel Delgado, secretário de Estado da Saúde que se demitiu

Dezenas de inspetores da Unidade Nacional Contra a Corrupção estão a realizar várias buscas no âmbito de um processo crime sobre a associação Raríssimas. O DN apurou que a casa de Paula Brito da Costa, o gabinete do antigo secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado no Ministério da Saúde e a Casa dos Marcos são os principais alvos dos investigadores. O inquérito em curso corre no Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa.

A PJ vai analisar os dados guardados no computador de trabalho de Paula Brito da Costa.

A Procuradoria-Geral da República, numa resposta à Lusa, confirmou a realização das buscas, "no âmbito do inquérito que se encontra em investigação no DIAP de Lisboa".

Uma investigação da TVI mostrou documentos que colocam em causa a gestão da instituição de solidariedade social por parte de Paula Brito da Costa, que terá alegadamente usado dinheiro para gastos pessoais.

Paula Brito e Costa esteve esta quarta-feira na associação que acolhe pessoas com doenças raras, na Moita, motivando protestos dos funcionários. Deixou o edifício pelas 17h15, acompanhada no carro pelo marido, que escondeu completamente a cara com o capuz de um casaco.

Numa declaração lida aos jornalistas à porta da Casa dos Marcos, Marta Balula, vogal da direção, anunciou a "suspensão preventiva" de Paula Brito da Costa por indícios de "ilícito laboral".

Paula Brito da Costa foi suspensa por 30 dias do cargo de diretora-geral, período durante o qual será iniciado um processo disciplinar para averiguar as queixas que recaem sobre a ex-presidente.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG