PJ detém grupo de jovens suspeito de assaltar taxistas

Menores pediam boleia para alegadas zonas residenciais e, à chegada ao destino, roubavam o motorista

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou esta quinta-feira a detenção de um grupo de jovens de 16 e 17 anos, "fortemente indiciados" pela prática de vários crimes de roubo agravado, sobretudo de taxistas, no concelho de Cascais.

Em comunicado, a PJ adianta que teve a colaboração do Subdestacamento Territorial da GNR de Alcabideche, com a qual localizou, identificou e deteve três jovens, dois de 16 e um de 17 anos, que eram corresponsáveis por vários assaltos cometidos com armas de fogo e agressões físicas.

Foram ainda identificados como coautores dois outros menores, com idades de 15 e 13 anos.

Os crimes ocorreram no concelho de Cascais (distrito de Lisboa), em abril e maio, sendo a maioria das vítimas motoristas de táxi a que o grupo pedia transporte para a zona de residência, roubando-lhes, depois, dinheiro, telemóveis e documentos pessoais.

Outros cidadãos foram também vítimas dos crimes.

Face à gravidade das ofensas à integridade física, algumas das vítimas necessitaram de receber tratamento hospitalar, refere o comunicado.

A PJ acrescenta que apreendeu alguns dos telemóveis e documentos roubados, bem como droga, no cumprimento de mandados de busca domiciliária.

Os menores vão ser presentes ao Tribunal de Família e Menores de Cascais, para aplicação das medidas tutelares educativas, depois de passarem por um primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação processual.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.