PJ apreende maior número de sempre de quadros falsos

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou hoje a apreensão de 27 quadros de pintores de renome internacional, entre eles Picasso, Miró, Matisse, Chagall, Degas, Caravaggio e Renoir.

A denominada operação 'Traço Fino' tornou-se, segundo a PJ, na maior apreensão de quadros envolvendo 'tão consagrados autores', o que indica que Portugal integra as 'grandes rotas internacionais da falsificação de pintura'.

As pinturas apreendidas alegadamente são falsificações, entre outros, de Picasso, Miró, Matisse, Chagall, Degas, Caravaggio, Renoir.

Os quadros estavam, na sua maioria, na posse de um homem de 55 anos de idade, na casa de quem foram ainda apreendidos diversos certificados, que visavam atestar a pretensa originalidade dos trabalhos.

As obras destinavam-se a ser vendidas como autênticas no mercado.

Em comunicado, a PJ alertou ainda os eventuais interessados na aquisição de quadros para adoptarem 'todas as cautelas no sentido de verificarem a sua origem e garantirem a sua autenticidade, antes de concluírem os negócios'.

'Em caso de dúvida', podem ser contactados os serviços competentes da Policia Judiciária, acrescentou a força.

O suspeito detido, em flagrante delito e presente ao tribunal competente, ficou sujeito a medidas e apresentações periódicas no posto policial da sua área.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG