PGR remete "caso Baptista da Silva" para o DIAP

Homem apresentou-se publicamente como consultor das Nações Unidas, dando entrevistas e protagonizando conferências. Departamento de Maria José Morgado determinará se há suspeitas de crime.

A Procuradoria-geral da República remeteu para o Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa o chamado "caso Baptista da Silva", o homem que se apresentou publicamente como consultor das Nações Unidas e autor de um relatório sobre os efeitos da austeridade em Portugal. Será o departamento liderado por Maria José Morgado a determinar se abre um inquérito-crime sobre o caso.

"Após análise sumária da factualidade veiculada nas diversas notícias conhecidas, foram as mesmas remetidas ao DIAP de Lisboa para apreciação da eventual relevância criminal da mesma", informou hoje o gabinete de imprensa da PGR.

Artur Baptista da Silva, recorde-se, deu várias entrevistas e foi o protagonista de conferências no International Club of Portugal e no Grémio Literário. Em todo o lado se apresentou como consultor das Nações Undias e coordenador de um estudo sobre o impacto da austeridade em Portugal.

A 24 de Dezembro do ano passado, o DN revelou que o homem esteve preso até Dezembro de 2011, por um crime de homicídio por negligência na sequência de um atropelamento, e era suspeito em vários processos de burla, falsificação de documentos e emissão de cheques-careca.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG