Perseguição termina com um militar da GNR ferido

A perseguição automóvel a dois elementos suspeitos pela GNR danificou hoje duas viaturas daquela força, colocadas numa barreira à entrada da cidade de Valença, além de ter provocado ferimentos ligeiros num dos militares.

A informação foi confirmada à agência Lusa por fonte da GNR, acrescentando que o militar ferido ainda se encontra internado no Hospital de Viana do Castelo, mas apenas por precaução.

Os dois indivíduos foram considerados suspeitos em Monção, durante uma operação da GNR e, cerca das 10:30 de hoje, não acataram a ordem de paragem, o que motivou a perseguição por patrulhas daquela força.

"Apesar das várias ordens de paragem, sinalização e avisos permanentes, durante o seguimento que foi feito à viatura, que se tornou suspeita, esta desobedeceu sempre", explicou a fonte.

Em Valença, com recurso a outra patrulha da GNR que os aguardava, foi tentada a imobilização através da colocação de uma barreira com duas viaturas.

"Embateram numa das viaturas que ali estavam colocadas, com dois militares, um dos quais ficou ferido. Essa foi embater, posteriormente, numa segunda viatura nossa", precisou a GNR, em complemento à primeira informação divulgada sobre o incidente.

Mesmo depois deste embate, os dois suspeitos conseguiram continuar a fuga e à saída da cidade de Valença, mantendo-se a perseguição pelos militares da GNR, abandonaram a viatura na freguesia de Gandra, tentando a fuga a pé, mas foram detidos.

A GNR acabaria por confirmar as suspeitas iniciais, já que a viatura utilizada pelos dois jovens apresentava matrícula portuguesa falsa e estava registada em Espanha.

Os dois elementos suspeitos residem no concelho de Valença e, segundo a GNR, têm antecedentes criminais.

O condutor da viatura, de 40 anos, foi presente ao Tribunal de Valença, acusado de condução perigosa e falsificação de documentos.

O segundo ocupante foi apenas identificado pelos militares da GNR.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG