Paula Brito e Costa suspensa da Raríssimas por 30 dias

Direção da associação decidiu afastar provisoriamente a antiga presidente

A ex-presidente da Raríssimas foi esta quarta-feira suspensa por 30 dias de todas as funções na associação, uma medida preventiva decidida pela direção desta organização.

Foi ainda instaurado um "procedimento prévio de inquérito" à atuação desta dirigente.

A decisão de suspensão foi justificada com o risco de perturbação do inquérito.

Paula Brito e Costa regressara neste dia ao trabalho na Casa dos Marcos, a instituição de apoio a doentes, de onde recusara sair da direção.

Exclusivos