Para eles... a vida não tem limites

A vida pregou-lhes uma grande partida, eram muito novos. Falharam as pernas, os braços, a visão. Ouviram "não podes, "não voltas a poder". Fizeram ouvidos moucos e passam os dias a superar-se.

O Nuno Vitorino, a Lina Pimental e o Nélson Lopes têm graves deficiências físicas e tiveram de fazer outras contas à vida. Dizem que os problemas não limitam os sonhos. Pelo menos até que lhes provem o contrário. Não lhes têm provado.

Superaram as limitações físicas, seguiram com a vida e, mais do que isso, desafiaram-se e superaram-se. São três dos nossos Stephen Hawking, o físico inglês, amante de atividades radicais que, agora, surge num disco dos Pink Floyd. E que recentemente passou por Lisboa numa viagem de cruzeiro.

Nuno Vitorino fazia full contact e iniciava-se no bodyboard quando um tiro da espingarda que ele e um amigo manuseavam o deixou tetraplégico (tinha 18 anos). O seu mundo foi trocado pelo Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão. Hoje tem 37 anos, a maioria vividos numa cadeira de rodas. O próximo desafio: fazer tow-in. Dito por outras palavras, "surf com reboque" e "dropar" as ondas gigantes de McNamara. Se o conseguir, será a primeira pessoa com deficiência a fazê-lo. Ele já escolheu o local: o ilhéu da Papoa, em Peniche.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper

Exclusivos