Papa não praticou exorcismo no domingo

O Vaticano garantiu hoje que o papa não exorcizou, no domingo, uma criança, na praça de São Pedro, como afirmou o canal TV2000 dos bispos italianos, mas que "simplesmente rezou por um doente que lhe foi apresentado".

Francisco "não realizou exorcismo algum, mas, como faz frequentemente com as pessoas doentes e que sofrem, rezou por uma pessoa que sofre e que lhe foi apresentada", disse o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, em comunicado, citado pela agência noticiosa espanhola EFE.

Na segunda-feira, o canal TV2000, da Conferência Episcopal Italiana (CEI), garantiu que o papa Francisco realizou no domingo "uma oração de libertação do demónio ou um autêntico exorcismo" de uma criança doente, que assistiu à missa de Pentecostes na praça de São Pedro, no Vaticano.

O alegado exorcismo foi confirmado à emissora dos bispos, de acordo com a página eletrónica da estação, "por vários exorcistas consultados" pelo programa 'Vade Retro', que afirmaram ter acontecido no final da missa de Pentecostes, quando o papa se aproximou de um grupo de doentes.

Sorridente, o papa aproximou-se de um menino e o sacerdote que o acompanhava apresentou-o, enquanto dizia algumas palavras, que não são ouvidas no vídeo emitido pela TV dos bispos.

O programa 'Vade Retro' explicou que a cara do papa "mudou subitamente" e que Francisco se mostrou "pensativo e concentrado, ao mesmo tempo que cobriu a cabeça da criança com as mãos, rezando intensamente".

"Os exorcistas que viram as imagens não têm dúvidas: tratou-se de uma oração de libertação do demónio ou de um exorcismo", precisou a TV2000, que na sexta-feira vai dedicar um programa "à batalha do papa Francisco contra o dia e as suas tentações".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG