Pais querem filhos com menos férias para compensar falta de professores

Para os alunos mais afetados pelo atraso na colocação de professores, e que têm este ano exames nacionais, a solução poderá passar por "retirar um a dois dias" a cada período de férias, de forma a permitir recuperá-los sem sobrecarregar os seus horários do dia a dia.

Este é pelo menos uma das soluções que a Confederação Nacional das Associações de Pais (Confap) já está a defender "junto de alguns diretores" para salvar o ano letivo.

Cortar nas férias, defende ao DN Jorge Ascensão, presidente da Confap, seria preferível a, por exemplo, estender a semana escolar até ao sábado: "Muitas vezes o início das férias é a um dia de semana e os alunos não têm grandes atividades.Já ao fim de semana existe uma maior disponibilidade das famílias para estarem com eles", explica.

Manuel António Pereira, presidente da Associação Nacional de Diretores Escolares (ANDE), confirma que "existe a possibilidade de algumas escolas" encurtarem as férias escolares dos alunos para lhes garantirem as aulas de recuperação. No entanto, defende também que "podem ser encontradas outras soluções que permitam evitar interferir com o período de descanso dos alunos. Em muitos casos será possível encontrar as soluções dentro dos seus horários", diz.

Manuel António Pereira lembra ainda que "muitas autarquias não asseguram o transporte dos alunos nos períodos de férias, para além que "grande parte das interrupções são usadas nas escolas para reuniões e avaliações".

Leia mais pormenores na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG