Pais de vítimas do Meco processam Dux e Lusófona

Cansados de esperar, familiares das vítimas avançam com queixa contra João Gouveia, desconhecidos e entidades como a Lusófona. A decisão surge no dia seguinte à reconstituição efetuada pela PJ, com a presença do "dux". Os pais estranham a escolha de uma noite com condições climatérica diferentes das verificadas na noite da tragédia.

Os pais dos seis estudantes que morreram na praia do Meco vão apresentar queixa-crime contra o sobrevivente João Gouveia, mas também contra "outros" e "entidades", segundo confirmou Fernanda Cristóvão, mãe de uma das vítimas. "Estamos cansados de esperar. Já lá vão dois meses e ninguém fala connosco", justificou ao DN, após reunião com o advogado das famílias, Vítor Parente Ribeiro, que vai agora encontrar a sustentação jurídica para o processo.

A decisão dos pais surge dois meses após as mortes dos jovens e um dia depois de João Gouveia ter ido ao local da tragédia acompanhar a PJ na reconstituição da noite de 15 de dezembro. Porém, os inspetores, que tencionavam "redesenhar" o mais fielmente possível o caso, encontraram condições climatéricas bem diferentes, o que foi encarado pelas famílias como "minimamente estranho", segundo desabaram ao DN.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG