Origem da crise é a "degradação da prática democrática"

O presidente da Associação 25 de Abril declarou hoje que a actual crise nacional tem origem numa "profunda degradação da prática democrática".

O Coronel Vasco Lourenço, que discursava no final do desfile do 25 de Abril entre o Marquês de Pombal e o Rossio, afirmou que os portugueses estão "numa situação verdadeiramente dramática: a perda de confiança dos cidadãos nos seus dirigentes, é bem mais perniciosa do que a divída pública!"

O militar de Abril fez uma critica impiedosa aos partidos políticos e à actuação dos seus dirigentes, frisando que "a responsabilidade do actual estado de coisas, da situação de crise que Portugal atravessa, não é do 25 de Abril!"

"Temos de ser capazes de melhorar a nossa democracia temos de ser capazes de obrigar os nossos representantes no poder político em não se afastarem e não nos renegarem depois de eleitos", enfatizou Vasco Lourenço.

Considerando que o resultado das próximas eleições manterá o actual estado de coisas, o militar de Abril sublinhou: "A Assembleia da República não representará efectivamente os portugueses. Queremos aqui proclamar que o povo português, verdadeira e única fonte de soberania não concede a essa Assembleia da República (...) o poder de entregar a soberania nacional" ao que chamou de "ditadura dos 'mercados'".

"Temos de votar, para demonstrar que não abdicamos dos nossos direitos democráticos. Mesmo que, se não quisermos escolher qualquer dos partidos (...) votemos em branco! Acima de tudo, temos de votar e gritar: presente!", referiu Vasco Lourenço rejeitando estar a fazer "o apelo ao voto em branco"

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG