Ordem dos Veterinários: Importante é que fiscalização exista, não quem a faz

A Ordem dos Médicos Veterinários considerou hoje que o importante é que a fiscalização dos produtos alimentares seja feita de forma eficaz, independentemente de quem a execute.

Em declarações à agência Lusa, Laurentina Pedroso salientou que, para os consumidores, o fundamental é que "o controlo exista e seja eficaz".

A polémica em torno do controlo da qualidade dos alimentos surgiu no domingo, dia em que o Jornal de Notícias avançou com a informação de que os técnicos da ASAE tinham deixado de recolher amostras para análises, trabalho que passou a ser feito pela Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV).

"Aquilo que é esperado e desejável é que a fiscalização exista. O que é importante é que os controlos existam. Temos técnicos competentes e excelentes quer na ASAE, quer na DGAV", comentou a bastonária.

A responsável lembrou ainda que, a nível da reestruturação de serviços, a antiga Direção Geral de Veterinária passou a Direção Geral de Alimentação e Veterinária, sendo "natural" que compreenda algumas atividades antes feitas pela ASAE.

"Não vejo que os técnicos da DGAV não tenham as competências devidas e a isenção e capacidades para poderem fazer aquilo que anteriormente os técnicos da ASAE faziam", comentou Laurentina Pedroso.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG