O Natal de Pedrógão, segundo João Viola

João Viola pintou quadro que retrata a sagrada família e o Presidente da República. Ainda não sabe se o vai oferecer no Natal a Marcelo Rebelo de Sousa

É uma pintura a óleo inspirada no original de Bernardo Srtoz - que retratou a sagrada família - o quadro que o artista João Viola pintou, e que ainda não se sabe se será entregue como presente ao Presidente da República, ou se ficará na sede da Associação das Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande.

Desde que a pintura foi publicada no semanário Expresso da semana passada que as reações - boas e más - não se fizeram esperar. Na imagem, Marcelo aparece vestido de pastor, segura um cajado na mão esquerda e uma casa na mão direita. "Houve logo quem fizesse interpretações políticas, mas o meu objetivo nunca foi esse", disse ao DN João Carvalho, o pintor que todos conhecem como João Viola.

"Como todos sabem a família de Jesus também estava desalojada. E Marcelo não está a oferecer nada - ao contrário do que foi sugerido. Mas ele é o representante do povo português, que foi incansável e solidário a colaborar na reconstrução das casas desta região", acrescenta o pintor, que na imagem vestiu Marcelo com as cores da bandeira nacional. No quadro - a que chamou "Presente de Natal" - insiste que "não há marginalização do primeiro-ministro", como alguns se apressaram a apontar.

De resto, lembra que "as casas foram oferecidas pelo país, pelo povo português". Por esta altura João Carvalho já sabe que Marcelo gostou do quadro, mas ainda não sabe se lho vai oferecer, no Dia de Natal, ou se o vai deixar na associação. Afinal, a ligação com o Presidente começou ali, em sua casa, quando a mulher, Dina Duarte (vice-presidente da AVIPG) recebeu uma chamada do presidente, na sequência de um e-mail que lhe enviou a pedir ajuda para a comunidade. "Ele veio cá várias vezes", lembra o artista, que já retratou todos os chefes de Estado e Presidentes da República, à exceção de Sócrates e Cavaco Silva.

João e Dina não perderam familiares no incêndio - nem a casa - mas perderam muitos vizinhos e amigos. São eles que têm liderado a ajuda à comunidade do Nodeirinho.

Exclusivos