Nuno Crato rejeita desinvestimento na Ciência

"É um mito que é preciso refutar. o Governo não desinvestiu na Ciência, nem na formação avançada". Foi desta forma que o ministro da Educação respondeu aos deputados da oposição, no Parlamento, que o questionaram sobre o corte nas bolsas individuais.

Nuno Crato pediu ainda à oposição que não confundisse as bolsas individuais com o total de bolsas em execução e de projetos. Às críticas de desinvestimento na ciência e na investigação, o governante respondeu com números: disse que a Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) apoia neste momento mais de 12 mil investigadores e que o financiamento científico efetivo aumentou de 410 milhões de euros em 2011 para 424 milhões em 2013.

A estes dados, Rita Rato, deputada do PCP, respondeu lembrando que os cortes no Orçamento de Estado para a Ciência tinham sido de "82 milhões de euros desde 2011". O ministro respondeu que os seus números dizem respeito à execução efetiva e não ao Orçamento.

Nuno Crato não respondeu, no entanto, às questões sobre o futuro dos 5000 candidatos excluídos nos últimos concursos individuais, nem às suspeitas de irregularidades nos concursos. "O presidente da FCT vai estar cá hoje à tarde e terá oportunidade de explicar essas questões", respondeu Nuno Crato.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG