Novos horários para bares de Lisboa em consulta pública

O despacho com as restrições horárias propostas pela Câmara de Lisboa foi ontem publicado e vai estar consulta pública durante 15 dias úteis.

O documento saiu no boletim municipal e é para aplicar nas zonas do Cais Sodré, Bica e Santos. A autarquia pretende que estabelecimentos como cafés, cervejarias, restaurantes, snack-bares, self-services e lojas de conveniência possam funcionar entre as 7.00 e as 2.00, durante todos os dias da semana. Atualmente, podem abrir às 6.00.

Excetuam-se, a esta restrição, os casos "que não correspondam a estabelecimentos de restauração e/ou [de venda de] bebidas devidamente legalizados", cujo horário máximo de funcionamento será entre as 8.00 e as 22.00 todos os dias, indica o despacho.

No que toca aos bares, clubes e 'pubs', o horário máximo de funcionamento é das 12.00 às 3.00, às sextas-feiras, sábados e vésperas de feriado. Entre domingo e quinta-feira, a hora de encerramento é encurtada para as 2.00.

No caso de estabelecimentos com um espaço de dança legalizado, o horário máximo de funcionamento é entre as 12.00 e as 4.00. Atualmente, os bares podem estar abertos até às 4.00, todos os dias.

A estes espaços, com exceção dos que não funcionam como restaurantes e dos que não estão legalizados para vender bebidas, apenas será "permitido proceder à venda de bebidas para consumo no exterior do estabelecimento até à 1.00, todos os dias da semana", pode ler-se.

Se, mediante ações de fiscalização, se verificar que esta norma não é cumprida, o estabelecimento poderá ser penalizado com um menor horário de funcionamento temporário, sendo obrigado a fechar às 23.00.

Quanto aos espaços de venda ao público não referidos acima, e que vendam bebidas, só poderão estar de portas abertas entre as 8.00 e as 22.00, durante toda a semana, enquanto isso agora é possível das 6.00 às 24.00.

Já as discotecas, que têm permissão para estar abertas até às 5.00 e 6.00, não vão ser abrangidas pelas restrições horárias, disse o vereador da Higiene Urbana, Duarte Cordeiro, na semana passada.

Segundo o despacho, as alterações em causa têm por base o que foi aplicado ao Bairro Alto, em 2008, quando se procedeu à restrição dos horários dos bares e das discotecas, porque se verificou que o funcionamento destes espaços até às 4.00 "constituía um fator de incomodidade e de prejuízo para a qualidade de vida dos moradores".

Nos últimos anos, surgiu também "uma nova dinâmica, em especial no Cais do Sodré", que levou a "novos estabelecimentos com novas valências" e a um aumento dos "consumidores na via pública", lê-se.

Estes novos horários vêm, assim, responder às "incomodidades sentidas", no eixo entre o Bairro Alto, o Cais do Sodré e o Largo de Santos, relacionadas com a "degradação da qualidade ambiental, mais concretamente a limitação do direito ao descanso e tranquilidade, à higiene pública, bem como respeitantes à segurança nessa zona", refere o documento.

Quem se quiser pronunciar sobre este despacho, em consulta pública até 19 de novembro, pode fazê-lo através do 'e-mail' emconsulta@cm-lisboa.pt ou nos locais de atendimento da Câmara de Lisboa.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG