Nóvoa regressa a casa. "Vamos repetir 1986, 30 anos depois"

Sampaio da Nóvoa fecha campanha na Aula Magna com apelo à "mobilização máxima" porque "tudo está em aberto até ao momento do voto".

Na Universidade de Lisboa que foi sua, na Aula Magna da Reitoria onde se deu a conhecer para a política, Sampaio da Nóvoa fechou esta sexta-feira à noite a sua campanha eleitoral. "Bem-vindo a casa", saudou Cruz Serra, o atual reitor.

Foi nesta Aula Magna, em maio de 2013, que Sampaio da Nóvoa apontou à unidade das esquerdas, como recordou Pilar del Rio, jornalista e sua mandatária para a cidadania. Foi aí, "nessa noite", que se soube "que tinha nascido um Presidente da República, atirou a mulher de José Saramago.

Foi nesta Aula Magna que Nóvoa - com os seus 1653 lugares lotados -, pediu esta noite, "mobilização máxima" porque "tudo está em aberto até ao momento do voto". E o candidato que recebeu o apoio dos três ex-presidentes da democracia, não teve medo de comparações. "Mário Soares também partiu com 25%, contra 46%, e acabou acima dos 50%. Vamos repetir 1986, 30 anos depois. A segunda volta é possível e está a um pequeno passo de distância. Estamos a uma distância tão pequena, mínima, que vos peço mobilização máxima!"

O antigo reitor da Universidade de Lisboa repetiu a Constituição como o seu programa de candidatura, para além de apontar o dedo à candidatura de Marcelo Rebelo de Sousa, o único adversário desta noite, como explicou Correia de Campos, o antigo ministro socialista, que no início da campanha tinha dirigido um forte ataque a Maria de Belém.

"Abracei este desafio com tempo, com frontalidade. Olhos nos olhos, perante todos os portugueses. Ouvi muita gente, gente de carne e osso, e não apenas os números da última sondagem. Percorri o país, de Norte a Sul, no continente e ilhas; estive onde estão as pessoas, e não apenas nos estúdios de televisão", apontou.

Defendendo que, "em democracia é mesmo o povo que mais ordena", Nóvoa quis "lembrar a todos que nem a democracia, nem a Constituição da República Portuguesa, que a um Presidente compete jurar, cumprir e fazer cumprir, se compadecem com uma política feita de um mero exercício de poder, vazio de valores, causas e ideais". E concluiu que "a democracia não tem donos" e "a notoriedade pode afinal não ter nada de notável."

Antes de Nóvoa, o secretário-geral da JS, João Torres, defendeu que "hoje não é o último dia da campanha eleitoral, hoje é mesmo o primeiro dia da segunda volta das presidenciais", uma ideia que o candidato também repetiria a fechar o seu discurso.

E o que disse Sampaio da Nóvoa na Aula Magna, em maio de 2013? "É só um encontro? Pois é, mas um encontro pode decidir uma vida. Podemos falar, podemos conversar e agir em conjunto." É o que espera o candidato no dia de domingo, com os olhos postos na segunda volta.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG