Novo Terminal de Cruzeiros de Lisboa concluído em 2015

O secretário de Estado das Infraestruturas e dos Transportes, Sérgio Monteiro, reafirmou hoje que as obras para o novo Terminal de Cruzeiros de Santa Apolónia, em Lisboa, vão estar concluídas no próximo ano.

"O novo terminal está a seguir um processo de concurso. Há uma decisão tomada já pelo júri do concurso e a Administração do Porto de Lisboa [APL] aguarda agora todas as autorizações para que possa iniciar o trabalho. Daí que a nossa expetativa temporal se mantenha: que o terminal esteja disponível para estar a uso já no próximo ano 2015", disse Sérgio Monteiro.

O secretário de Estado considerou que esta obra permite melhorar a oferta para cruzeiros, "além das escalas que os navios fazem em Lisboa, [para que o terminal] possa ser pontos de início ou de fim dos cruzeiros porque o impacto no país e na cidade é maior".

Sérgio Monteiro falava aos jornalistas depois de uma cerimónia que decorreu esta manhã no Terminal de Cruzeiros de Santa Apolónia para assinalar a presença de três cruzeiros que apenas por duas outras vezes se juntaram no mesmo porto, o Queen Mary 2, o Queen Elizabeth 2 e Queen Victoria.

Na cerimónia esteve presente também o secretário de Estado do Turismo, Adolfo Mesquita Nunes, indicando que com estes três cruzeiros (mais outros três que atracaram hoje na capital) Lisboa receberá cerca de 18.000 turistas, "o que representa um milhão de euros na economia local".

"Quando se fala de turismo fala-se de economia. Este dia testemunha que Lisboa e o país são um destino de cruzeiros. Somos já o 6.º destino de cruzeiros da Europa. Cerca de 20% do emprego criado no ano passado foi no turismo. E o maior setor exportador que contribuiu para o equilíbrio da balança de pagamentos foi o turismo, com mais de nove mil milhões de euros em receitas", disse Mesquita Nunes.

A "vontade de crescer" foi apontada pelos membros do Governo e pelo presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, que também marcou presença no terminal de cruzeiros.

"É muito importante sermos um porto de escala, mas o nosso grande objetivo tem de ser termos um porto de início ou de fim de cruzeiro, porque é a oportunidade que temos de além da visita do dia podermos ter a estadia noturna e isso alimentar ainda mais a nossa economia", considerou.

O autarca socialista mostrou-se satisfeito com os novos concessionários do terminal de cruzeiros: "São parceiros muito fortes do ponto de vista internacional, são grandes operadores e vão certamente promover uma grande melhoria da atratividade da cidade de Lisboa", afirmou.

A concessão do terminal de cruzeiros foi adjudicada ao consórcio que junta Global Liman Isletmeleri, Grupo Sousa, Royal Caribbean Cruises e Creuers del Port de Barcelona, o único concorrente.

O vencedor do concurso terá de pagar à Administração do Porto de Lisboa 300 mil euros por ano de taxa fixa e 0,22 euros por passageiro de taxa variável, tal como uma contrapartida pelos serviços prestados (pilotagem e outros) que, em 2013, totalizou cerca de 2,5 milhões de euros.

A proposta vencedora prevê o investimento de construção da nova gare de passageiros, um valor que a APL estima em cerca de 22,7 milhões de euros.

O contrato de concessão tem um prazo de 35 anos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG