Trabalhos retomados na Autoestrada Transmontana

A Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) autorizou a retoma dos trabalhos na frente da Autoestrada Transmontana onde hoje ocorreu um acidente mortal, com a exceção da estrutura que esmagou um trabalhador, informou a concessionária.

A Autoestradas XXI adiantou à Lusa que "a ACT de Bragança já esteve na obra, dando por libertos todos os trabalhos, à exceção dos relacionados com a colocação dos aparelhos de apoio, que ficam condicionados até novas instruções".

O acidente ocorreu na freguesia de Sezulfe, concelho de Macedo de Cavaleiros, no distrito de Bragança, onde está a ser edificado um viaduto sobre a estrada nacional 15, constituído por dois tabuleiros paralelos assentes e pilares com cerca de 30 metros de altura.

De acordo com o relatório preliminar do inquérito aberto pela concessionária e a que a Lusa teve acesso, "o subempreiteiro do consórcio construtor, a empresa Pavicentro, executava trabalhos de substituição dos aparelhos de apoio provisórios".

"No decurso da atividade, caiu um aparelho de apoio (uma peça metálica de grandes dimensões) sobre uma pick-up que circulava no caminho de apoio à obra, na zona entre os dois tabuleiros paralelos, tendo atingido mortalmente o seu condutor", concluiu a concessionária.

A vítima, de 46 anos, teve morte imediata e era o encarregado desta frente de obra.

A concessionária "abriu imediatamente um inquérito e ordenou a suspensão dos trabalhos" naquela frente, que foram agora retomados com autorização do ACT.

Este foi o primeiro acidente mortal nas obras da Autoestrada Transmontana, adjudicada em 2008 ao consórcio liderado pela Soares da Costa.

A concessionária estima que os 133 quilómetros da nova via, que liga Vila Real a Bragança, estejam concluídos no final de setembro.

Nas operações de socorro participaram os bombeiros de Macedo de Cavaleiros com um desencarcerador e o INEM.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG