Trabalhadores da Águas do Porto reúnem-se em vigília

Trabalhadores da empresa municipal Águas do Porto reúnem-se hoje, a partir das 17:00, em vigília em frente à empresa para exigir a restituição da carreira contributiva, avaliada em 1,8 milhões de euros.

"A vigília foi marcada no seguimento das deliberações tomadas em plenário do dia 17 de janeiro, como forma de luta perante o incumprimento do novo regulamento aprovado pelo município do Porto, referente à Caixa de Reformas e Pensões", refere um comunicado dos representantes dos funcionários.

Os trabalhadores da empresa municipal Águas do Porto com descontos feitos para a Caixa de Reformas decidiram então dar à administração 30 dias para restituição da carreira contributiva.

Neste processo estão em causa 372 funcionários no ativo, inscritos na Caixa de Reformas, e "cerca de 1,8 milhões de euros" referentes aos descontos mensais de 2% do ordenado feitos até agosto de 2012.

A Câmara do Porto aprovou a 03 de julho a suspensão de subsídios e o novo regulamento da Caixa de Reformas dos ex-SMAS (Serviços Municipalizados de Água e Saneamento), que fixava 120 dias para a restituição dos descontos feitos pelos funcionários.

Os trabalhadores agendaram uma vigília também para o dia 05 de fevereiro (entre as 17:00 e as 20:00) em frente à empresa e um plenário de emergência para o dia 06 (14:30) na sede da empresa.

"Registe-se que este plenário foi convocado de emergência, uma vez que, perante a passividade na tomada de decisão por parte da administração, julgam os trabalhadores ser necessário discutir novamente as moções apresentadas no primeiro plenário, bem como adotar novas formas de luta", refere a nota.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG