"Queria saber se tive ou não tive esse orgasmo"

"Vim ver se era eu ou não no vídeo", afirmou esta manhã José Castelo Branco à saída do tribunal onde foi ouvido como testemunha no chamado processo das orgias. A toilette, desta vez, não o impediu de chegar a horas.

O vídeo apenso aos autos não foi visionado e a audição de José Castelo Branco e da mulher, Betty Grafstein, durou poucos minutos. Betty falou durante três a quatro minutos. José Castelo Branco um pouco mais porque "contou a vida toda".

"Sou uma pessoa que gosta muito de falar e até pedi desculpas por isso à meretíssima juíza", afirmou à saída, altura em que, aproveitando o grande número de fotojornalistas no tribunal de Famalicão, voltou a posar para as câmaras.

"Vejam esta beleza toda. Gostam?", referiu, enquanto pediu à mulher "smile, darling" [sorri, querida]. "Isto de ser imperatriz dá uma trabalheira, tivemos de nos levantar às seis da manhã, pôr o rímel no olho. Cansa ser bela", atirou.

Castelo Branco disse mesmo que pediu à juíza presidente do coletivo para o deixar ver o vídeo em que alegadamente aparece com o casal para confirmar se participou ou não nas orgias, mas o pedido foi rejeitado.

"Queria saber se tive ou não tive esse orgasmo", explicou, confessando-se "cansada e exausta de tanta história, de tanta fantochada" e de ver o seu nome envolvido numa "história sórdida, que até fede".

No entanto, destacou a simpatia e a "correção inacreditável" de toda a "entourage" do tribunal, desde juízes, procuradores e advogados, além das "meninas" que lá trabalham, que "são amorosas".

Dentro do tribunal, o rei do jet-set contou: "Nas situações que vivi com o casal nunca vi nada forçado e o que existia entre ambos era cumplicidade e alegria".

José Castelo Branco e Betty Grafstein chegaram ao tribunal pelas 9.30 e estiveram no Palácio da Justiça pouco mais do que uma hora. "Vou dizer a verdade", afirmou na altura aos jornalistas. À saída, esquivou-se às perguntas menos convenientes com termos como "atrevida" ou "bicha" e expressões como "acha que sou loura?" ou "cansam-me a beleza".

Quando se preparava para abandonar o tribunal e entrar no Jaguar em que se fez transportar, conduzido pelo seu "chauffeur", um grupo divertido de jovens despediu-se dele gritando "Castelo, Castelo, Castelo!".

"É assim em todo o lado, os meus fãs mimam-me, são absolutamente amorosos", soltou.

O julgamento do empresário, de 47 anos, acusado de coagir, sob ameaça de arma de fogo, a mulher a participar em orgias sexuais está a decorrer à porta fechada. Arrolados pela defesa como testemunhas, José Castelo Branco e a mulher, alegadamente amigos do casal de Famalicão, terão participado ou marcado presença em algumas orgias.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG