Preventiva para suspeito de tiros por discussão no trânsito

O Tribunal de Bragança decretou hoje a prisão preventiva do suspeito dos disparos num alegado desentendimento de trânsito, dos quais resultaram dois feridos que se encontram hospitalizados em estado grave, informou fonte ligada ao processo.

O indivíduo de 66 anos, aposentado, está indiciado pelos crimes de homicídio qualificado na forma tentada e de posse de arma proibida, tendo sido detido poucas horas depois dos incidentes, registados na noite de sábado, no bairro da Coxa, em Bragança.

De acordo com um comunicado emitido hoje pela diretoria Norte da Polícia Judiciária (PJ), o arguido ter-se-á desentendido com outro condutor "no âmbito da circulação estradal" e disparado a curta distância vários tiros de carabina que vieram a atingir gravemente a vítima.

Após ter sido baleado, o condutor, de 39 anos, conseguiu, ainda segundo o relato da PJ, "entrar no seu veículo onde voltou a ser alvo de mais disparos que provocaram o despiste e embate num contentor que foi projetado e atingiu uma mulher" que circulava, com outras pessoas, no passeio da rua onde ocorreram os factos.

A mulher foi assistida na unidade hospitalar de Bragança e transferida de helicóptero para o Centro Hospitalar do Porto, na madruga de domingo.

O condutor atingido "tinha, pelo menos, três perfurações de bala na zona abdominal e torácica", segundo as autoridades e foi submetido a uma intervenção cirúrgica na noite do ataque, no hospital de Bragança.

O ferido continua internado na Unidade do Doente Crítico deste hospital com "prognóstico reservado", segundo informação disponibilizada à agência Lusa pelo gabinete de imprensa da Unidade Local de Saúde do Nordeste.

O autor dos disparos pôs-se em fuga, mas acabou por ser intercetado e detido, na mesma noite pela PSP, ajudada por uma testemunha que registou a matrícula do veículo em que se deslocava.

O indivíduo era já conhecido das autoridades locais por episódios alegadamente ligados a violência doméstica.

Devido à natureza do crime, o caso transitou para a alçada da PJ, através da unidade local de investigação de Vila Real, que na sequência de várias diligências de investigação, em colaboração com a PSP de Bragança, apreendeu ao suspeito "uma carabina com silenciador e com uma bolsa acoplada para recolha de invólucros deflagrados, bem como uma caçadeira e centenas de munições".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG