Ponte internacional com Espanha inaugurada sábado

O ministro das Obras Públicas, António Mendonça, e o homólogo espanhol do Fomento, José Blanco Lopéz, inauguram sábado, em Chaves, a Ponte Internacional sobre o rio Tâmega.

Segundo o Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, a ponte que liga as localidades de Vila Verde da Raia (Portugal) e Feces de Abaixo (Espanha), representa um investimento conjunto de 2,3 milhões de euros..

O presidente da Câmara de Chaves, João Batista, adiantou hoje, em declarações à Agência Lusa, que a estrutura "que estava prometida há muitos anos" vai ligar as autoestradas A24, entre Viseu e Chaves, e a A52, de Vigo a Madrid, através de Benavente.

 "Esta ligação fecha uma rede de comunicação e mobilidade que passa por Chaves. O nosso concelho abre as portas da Europa de forma mais consistente tornando-se num centro nevrálgico", afirmou o autarca.

A responsabilidade pelo projecto de construção, lançamento do concurso, adjudicação, execução e direcção da obra coube às autoridades espanholas, tal como ficou decidido na Cimeira Luso-Espanhola de Valência, em 2002.

Trata-se de um investimento total na ordem dos 2,3 milhões de euros em que o montante da comparticipação de Portugal é de 838 815,34 Euros.

Os trabalhos de construção da nova ponte internacional terminaram em Dezembro de 2008, assinalando-se agora a conclusão dos acessos em território espanhol.

 Do lado português, foi aberto ao tráfego, em 2007, o lanço do IP3/A24 Vila Real -- fronteira espanhola e foi concluído, em 2006, o lanço IP3/A24 Vila Pouca de Aguiar -- Chaves.

Segundo o ministério português, esta obra cumpre o que foi estipulado num convénio celebrado entre Portugal e Espanha em 1996 a que se seguiu uma Convenção Quadro assinada em 1998, com o objectivo de melhoria das acessibilidades e das condições de circulação de veículos e pessoas entre os dois países.

Em 2002, foi constituída a delegação portuguesa na Comissão Técnica Mista (CTM) luso-espanhola que aprovou, em 2006, o projecto de construção elaborado por Espanha.

Exclusivos

Premium

Liderança

Jill Ader: "As mulheres são mais propensas a minimizarem-se"

Jill Ader é a nova chairwoman da Egon Zehnder, a primeira mulher no cargo e a única numa grande empresa de busca de talentos e recursos. Tem, por isso, um ponto de vista extraordinário sobre o mundo - líderes, negócios, política e mulheres. Esteve em Portugal para um evento da companhia. E mostrou-o.

Premium

Viriato Soromenho Marques

Madrid ou a vergonha de Prometeu

O que está a acontecer na COP 25 de Madrid é muito mais do que parece. Metaforicamente falando, poderíamos dizer que nas últimas quatro décadas confirmámos o que apenas uma elite de argutos observadores, com olhos de águia, havia percebido antes: não precisamos de temer o que vem do espaço. Nenhum asteroide constitui ameaça provável à existência da Terra. Na verdade, a única ameaça existencial à vida (ainda) exuberante no único planeta habitado conhecido do universo somos nós, a espécie humana. A COP 25 reproduz também outra figura da nossa iconografia ocidental. Pela 25.ª vez, Sísifo, desta vez corporizado pela imensa maquinaria da diplomacia ambiental, transportará a sua pedra penitencial até ao alto de mais uma cimeira, para a deixar rolar de novo, numa repetição ritual e aparentemente inútil.