Ponte do IP3 com "risco considerável" de ruir

Uma ponte do IP3, a ponte do Chamadouro, apresenta "um risco considerável" de ruir, de acordo com um relatório do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), citado num despacho do Diário da República.

"Verifica-se um risco considerável de a ponte existente ruir, atendendo a que o estado de degradação dos pilares é evolutivo, porquanto a degradação identificada no relatório do LNEC é constante e gradual, não sendo possível determinar, em termos precisos, quando deverá a ponte ser encerrada", refere o despacho assinado pelo secretário de Estado das Obras Públicas, Transportes e Comunicações e pelo secretário de Estado do Ambiente e do Ordenamento do Território.

No entanto, o Ministério da Economia e do Emprego, que tutela as Obras Públicas, garantiu à Lusa que esse risco não existe.

Fonte da tutela assegurou à Lusa que a ponte que liga os concelhos de Santa Comba Dão e Mortágua "não está em risco de colapsar", explicando que "não havendo indícios de colapso iminente, há sinais que impõem que se faça uma ponte nova".

Por isso, foi "dispensada a necessidade de um estudo de impacto ambiental para uma obra que é necessário fazer", uma decisão publicada sexta-feira em Diário da República.

No despacho do Diário da República, refere-se ainda que "a inviabilidade de reabilitação dos pilares e fundações constitui um factor adicional de risco elevado de a atual ponte ruir, tornando assim imperiosa e urgente a antecipação da construção da nova ponte e a consequente transferência do tráfego existente na antiga ponte para a nova".

A Lusa tentou entrar em contacto com o LNEC e com a Estradas de Portugal mas até ao momento ainda não foi possível obter esclarecimentos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG