Morte de Leandro fica sem culpados

O Ministério Público decidiu arquivar o inquérito judicial ao caso do rapaz que se afogou no rio Tua, em Mirandela, em Março de 2010, confirmou hoje à Lusa a Procuradoria Geral da República (PGR).

De acordo com a mesma fonte, o despacho final de arquivamento já "foi proferido no dia 13 de Outubro de 2010", há quase quatro meses. A PGR não divulgou quais os fundamentos do arquivamento, que implica no entanto que também a nível judicial não foram encontradas razões para imputar responsabilidades.

O inquérito judicial conduzido pelo Ministério Público de Mirandela demorou pouco mais de meio ano e foi desencadeado logo apôs o desaparecimento de Leandro, que a 2 de Março, à hora de almoço, saiu da escola durante o horário lectivo.

O rapaz de 12 anos estava acompanhado de um grupo de amigos e desapareceu nas águas do rio Tua, junto ao parque de merendas da cidade de Mirandela, um local ainda distante da escola que frequentava, a Luciano Cordeiro. O corpo foi encontrado 23 dias depois a 12 quilómetros do local onde tinha sido visto pela última vez.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG