JMP recusa mais atrasos na definição de modelo de governação

A Junta Metropolitana do Porto (JMP) sublinhou hoje ser "importante" que o Governo apresente no prazo máximo de duas semanas o novo modelo de governação para a Metro do Porto e a alteração dos seus estatutos para a empresa.

No final da reunião da JMP, o presidente Rui Rio afirmou que, tendo em conta estar já marcada a assembleia-geral (AG) da Metro para o dia 25 de maio, seria bom que o modelo, os estatutos e os nomes para os novos órgãos sociais da empresa não fossem conhecidos na véspera.

O autarca do Porto lembrou que as alterações propostas pelo Governo terão sempre que ser "apreciadas" pela JMP, bem como caberá aos autarcas da Área Metropolitana "indicar nomes" para os novos órgãos sociais, enquanto acionistas da Metro do Porto.

Rui Rio tornou a afirmar que a JMP pretende ver a sua posição reforçada na nova administração a ser criada, tendo dito que, se eventualmente se acabar com os membros não executivos no conselho de administração, "a JMP pode ter até membros executivos".

Na semana passada, o ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, afirmou à JMP pretender apresentar nas próximas semanas a sua proposta de modelo de governação para as empresas Metro do Porto e Sociedade dos Transportes Colectivos do Porto (STCP).

O Governo apresentará ainda alterações aos estatutos das duas empresas, uma vez que o seu objetivo é criar uma administração conjunta para as duas empresas de transportes, no âmbito da fusão da STCP e Metro do Porto, que consta no Plano Estratégico dos Transportes (PET).

Ainda a propósito da reunião que o ministro teve na semana passada coma direção da Junta, Rio salientou que os autarcas reafirmaram hoje a "defesa da autonomia do Porto de Leixões, tal como sempre foi".

Álvaro Santos Pereira disse, no dia 20, que no novo modelo portuário que está a ser trabalhado com a "troika" serão valorizadas "a autonomia e boa gestão" do porto de Leixões.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG