Rui Rio assiste à demolição a bordo da embarcação "Douro Spirit"

O presidente da câmara do Porto vai assistir à implosão da torre 5 do Bairro Aleixo, no rio, a bordo da embarcação "Douro Spirit".

"A melhor maneira de ver as margens é do rio. Lembrei-me disto já há bastante tempo e fiz o desafio a Rui Rio já no São João", disse à Lusa Mário Ferreira, dono da empresa Douro Azul, explicando o convite feito ao autarca para assistir à implosão da primeira torre do Aleixo a partir do Douro.

Mário Ferreira frisou ainda que a embarcação "ficará a uma distância muito segura e com um ângulo de visão livre".

"O barco é novo e grande", explicou Mário Ferreira, descrevendo que tem 80 metros de comprimento, 11,4 de largura, 65 quartos e capacidade para 130 passageiros, sendo habitualmente usado por cliente americanos.

Para a iniciativa de hoje, o empresário convidou 80 a 100 pessoas, disse à Lusa.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Henrique Burnay

Discretamente, sem ninguém ver

Enquanto nos Estados Unidos se discute se o candidato a juiz do Supremo Tribunal de Justiça americano tentou, ou não, há 36 anos abusar, ou mesmo violar, uma colega (quando tinham 17 e 15 anos), para além de tudo o que Kavanauhg pensa, pensou, já disse ou escreveu sobre o que quer que seja, em Portugal ninguém desconfia quem seja, o que pensa ou o que pretende fazer a senhora nomeada procuradora-geral da República, na noite de quinta-feira passada. Enquanto lá se esmiúça, por cá elogia-se (quem elogia) que o primeiro-ministro e o Presidente da República tenham muito discretamente combinado entre si e apanhado toda a gente de surpresa. Aliás, o apanhar toda a gente de surpresa deu, até, direito a que se recordasse como havia aqui genialidade tática. E os jornais que garantiram ter boas fontes a informar que ia ser outra coisa pedem desculpa mas não dizem se enganaram ou foram enganados. A diferença entre lá e cá é monumental.