PS exige transparência no negócio imobiliário do Aleixo

O presidente da concelhia do Porto do PS, Manuel Pizarro, exigiu hoje "transparência" do executivo municipal no negócio imobiliário associado à demolição do Bairro do Aleixo, que irá começar na sexta-feira.

"Vamos pedir na próxima reunião de câmara [terça-feira] que nos seja dada cópia do contrato assinado", afirmou Manuel Pizarro, numa visita a um imóvel municipal em ruínas que deveria estar em obras de recuperação ao abrigo daquele contrato. Segundo o líder do PS/Porto, há "incumprimento claro" da minuta de contrato entregue há cerca de dois anos, pelo que os socialistas querem verificar se o texto assinado é igual ao da minuta. O PS recordou que foi constituído em junho de 2010 um Fundo Especial de Investimento Imobiliário (FEII), designado Invesurb, que previa a construção ou reabilitação de 300 fogos, numa área total de 22.390 metros quadrados, e a sua entrega faseada a partir de 2011.

"O que foi dito à sociedade é que o Aleixo iria ser trocado por 300 fogos", salientou Manuel Pizarro, criticando o executivo PSD/CDS liderado por Rui Rio por se preparar para implodir a primeira das cinco torres do bairro sem ter reabilitado nenhum dos imóveis previstos no contrato. O presidente do PS/Porto realçou que o Bairro do Aleixo ocupa "terrenos muito apetecíveis na encosta do Douro", mas criticou que 260 famílias estejam a ser realojados noutros bairros sem que haja a prometida reabilitação de casas degradadas do Centro Histórico. O vereador do PS Manuel Correia Fernandes considerou de uma "ligeireza inaceitável" a grande discrepância entre as avaliações interna e externa da área edificável dos terrenos do Aleixo, de cerca de 20 mil e 26 mil metros quadrados, respetivamente.

O autarca sublinhou ainda que a minuta do contrato "impõe uma revisão do PDM [Plano Diretor Municipal] que ainda não foi feita". "É por isso que a lei da limitação dos mandatos é muito adequada", comentou Manuel Pizarro, enaltecendo o facto de Rui Rio já não se poder recandidatar ao cargo nas eleições autárquicas de 2013.

Ler mais

Exclusivos