Pegou fogo ao colchão e está com prognóstico reservado

Um recluso de 30 anos pegou fogo, no domingo, às roupas de cama e ao colchão da cela do Estabelecimento Prisional de Paços de Ferreira, tendo sido transportado para o Hospital da Prelada, onde está "estável mas com prognóstico reservado".

Em resposta à agência Lusa, a Direção-Geral dos Serviços Prisionais confirmou que ao princípio da noite de domingo "um recluso do Estabelecimento Prisional de Paços de Ferreira pegou fogo a algumas roupas de cama e ao colchão da sua cela individual", tendo o incêndio, "circunscrito a alguns dos bens existentes na cela", sido de imediato "extinto pelo pessoal de vigilância, com os meios disponíveis no estabelecimento prisional".

"O recluso foi assistido pelos serviços clínicos do estabelecimento prisional e pelo INEM, tendo sido encaminhado para o Hospital da Prelada", acrescenta a resposta.

Contactada pela agência Lusa, fonte do Hospital da Prelada avançou que o doente, que apresenta queimaduras de primeiro, segundo e terceiro grau e com uma área corporal queimada de 25 a 30 por cento, está "estável mas com prognóstico reservado".

Segundo Direção-Geral dos Serviços Prisionais "trata-se de recluso do sexo masculino, de 30 anos de idade, condenado numa pena de 9 anos de prisão pela prática dos crimes de roubo e detenção de arma proibida".

Fonte do estabelecimento prisional disse à agência Lusa que o incendiou a cela em protesto pela forma como agem os serviços clínicos, tendo a mesma fonte descrito que o indivíduo "pediu um injetável ou compridos para dormir e, ante a recusa do enfermeiro de serviço, automutilou-se em ambos os braços e posteriormente incendiou a cela".

Ler mais

Exclusivos