Linha de metro para Gondomar abre em Janeiro

A abertura comercial da linha laranja do Metro do Porto para Fânzeres (Gondomar) está agendada para 2 de Janeiro de 2011, estando a inauguração oficial prevista para depois do Natal, disse fonte da empresa durante a primeira viagem técnica.

O trajecto foi acompanhado pelo presidente do conselho de administração da Metro do Porto e da Câmara de Gondomar, Valentim Loureiro, que se mostrou insatisfeito com o facto da nova linha não chegar à sede do concelho. "Não é aceitável que dos sete concelhos que têm metro, Gondomar seja o único em que ele não vai à sede", lamentou Valentim Loureiro durante a viagem. O presidente da Câmara de Gondomar afirmou mesmo não estar "satisfeito" com o facto de "ter sido convencido a concordar que a linha não fosse a Gondomar/São Cosme".

Valentim Loureiro lembrou que a linha Campanhã-Gondomar/São Cosme foi "aprovada pelo governo de Durão Barroso em 31 de Julho de 2003" mas "acabou por ser amputada e ficar a pouco mais de meio". "O então ministro Mário Lino e uma secretária de Estado convenceram-me que se a linha ficasse aqui (Fânzeres), avançaria logo uma nova. Eu fui na conversa e agora temos a linha a três/quatro quilómetros da sede do concelho e a outra está no papel", recordou. O percurso irá servir "a população de Gondomar, sobretudo Rio Tinto, também um pouco de Baguim do Monte e Fânzeres mas naturalmente que devia ir a Gondomar/São Cosme", voltou a frisar o autarca, admitindo mesmo estar "triste" com a situação. Sobre a segunda linha para Gondomar, contou que "o projecto está feito" mas disse ter "dúvidas de que haja dinheiro" para a segunda fase do Metro do Porto.

Ricardo Fonseca, presidente do Conselho de Administração da Metro do Porto, também presente na viagem técnica, esclareceu que o compromisso assumido por aquela empresa "foi de entregar as peças concursais para a segunda fase até ao final deste ano". Depois de entregues as peças concursais, aguardaremos a resposta do Governo", referiu, admitindo estar "convicto que a decisão vai ser positiva" e que a segunda linha para Gondomar será "uma realidade".


Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.