Jovens alegadamente descontentes com demolição tentaram agredir agentes policiais

Um grupo de jovens alegadamente descontentes com a demolição da torre 5 do Bairro do Aleixo, no Porto, tentou hoje agredir agentes policiais com pedras e garrafas.

Em declarações à Lusa, o comandante da Polícia Municipal (PM) do Porto, Leitão da Silva, admitiu que "houve uma situação em que foi necessário usar gás pimenta" para controlar "ânimos mais exaltados dirigidos, sem qualquer razão, contra a polícia".

Contudo, "ninguém ficou ferido", assegurou o comandante da PM do Porto, referindo que alguns dos jovens que protestavam e insultavam os agentes deslocados para o local "nada tinham a ver com a demolição".

Segundo o comandante Leitão da Silva, "houve, de facto, várias pessoas que se emocionaram, o que é normal em situações destas, e houve também quem se aproveitasse dessa fragilidade para incendiar os ânimos".

O responsável da Polícia Municipal do Porto acrescentou que ninguém ficou ferido, assim como ninguém foi detido.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.