Incêndio na Conforama em fase de rescaldo

O incêndio que hoje destruiu a loja e armazém da Conforama na Afurada, Vila Nova de Gaia, já está controlado e entrou em fase de rescaldo, disse à agência Lusa o comandante dos Bombeiros Sapadores de Gaia.

Salvador Almeida disse aos jornalistas que a operação de rescaldo deverá prolongar-se por "algum tempo", mantendo-se no local 46 bombeiros e 17 viaturas, de cinco corporações.

"Este trabalho do pós-incêndio, do rescaldo, é muito demorado, porque é muito importante que o façamos com segurança também. Temos homens que já estão a fazer uma tentativa de penetração no edifício, até para o irem dominando e chegar à extinção total", acrescentou o comandante dos Sapadores de Gaia.

Segundo Salvador Almeida, quando os bombeiros chegaram ao local as chamas já estavam a sair pela cobertura, o que indicava que o fogo já lavrava há algum tempo. "Toda esta zona envolvente é habitada, do outro lado da rua existem habitações e um posto de combustível, houve o cuidado de alertar as pessoas, aconselhando-as a afastar-se porque estes fumos são tóxicos, são perigosos e não devem ser respirados", sublinhou.

Salvador Almeida referiu que "o risco para as suas habitações não era grande porque os meios deslocados para o local foram suficientes para combater este incêndio urbano de grandes dimensões, mas há sempre probabilidade e por isso garantimos essa salvaguarda das habitações e do posto de combustível".

Segundo contou aos jornalistas, o proprietário da estação de abastecimento de combustíveis foi aconselhado a não abrir hoje, mantendo no local "um carro e um grupo de bombeiros perfeitamente equipados para defender o posto".

As causas do fogo, que deflagrou cerca das 05:30, ainda não estão apuradas. A loja e armazém de móveis, que vende igualmente eletrodomésticos, têxteis e outros artigos para o lar, empregam 40 pessoas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.